A revista impressa vai acabar?

Antes de ler este texto veja este vídeo:

 

Em um mundo de tantas atualizações, compartilhamentos livres e acesso a conteúdos específicos escrito por profissionais especializados, é importante repensar e discutir o formato da linha de editorial das revistas impressas, ou melhor, a revista impressa vai se manter até quando?

Muitas empresas já não optam mais em anunciar neste tipo de veículo e, mesmo que algumas revistas possuam credibilidade de marca, o custo deste investimento não consegue mais trazer o mesmo retorno de audiência como antes, sem contar com os altos preços do espaço publicitário.

É fácil perceber isto quando entramos em um canal de rede social empresarial e identificamos que seu número de seguidores é superior ao número de impressões de muitos veículos de comunicação.

Com as redes sociais as empresas começaram a criar seus próprios editoriais e elaborar um conteúdo que envolve os interesses de seus consumidores. Parece que, agora, a era do blog faz ainda mais sentido, mas um outro fenômeno ocorrente é que muitos canais não são escritos somente por jornalistas. Os blogs chegaram para dar espaço a profissionais e empresas que sabem dissertar a respeito de um serviço, produto ou informação.

A busca por credibilidade se mantém e o grande desafio dos jornalistas hoje, não é conseguir um emprego em um veículo ou emissora de grande circulação na cidade, agora o fluxo de necessidade precisa ser direcionado a ele mesmo ou a uma marca (empresa) dentro da internet.

Não é um paradoxo ver os jornais da televisão anunciando seus portais web no próprio veículo. Sabendo que o número de audiência e informação da internet é mais veloz, os empresário destes canais abordaram esse reposicionamento de mercado, se preparando para o futuro (muito próximo) da comunicação.

A grande questão é que as redes sociais também são empresas e percebendo que muitos anunciantes começaram a dividir a fatia de investimento de marketing com canais como, Facebook, Google, Youtube e outros, os veículos de comunicação tradicional evitam ao máximo citar sobre a utilidade destas empresas.

Neste exato momento você pode perceber a facilidade de encontrar um conteúdo em canais de credibilidade. Quer saber sobre moda? Que tal entrar no site da Julia Petit! Quer ver textos sobre arquitetura? Consulte as informações do Marcelo Rosenbaum. Enfim qualquer tema será encontrado na internet, e melhor, você pode seguir grandes influenciadores pelas redes sociais e receber atualizações diárias.

Mas ainda existe uma carência de informação. Mesmo que os melhores especialistas do mundo estejam na rede, é preciso pensar no raio social. Quantos jornalistas em sua cidade possuem um blog, uma fanpage ou twitter? Quantos médicos ou hospitais estão nas redes sociais produzindo conteúdo? Desenvolver o assunto local é o próximo passo dos profissionais de Social Media e encontrar uma forma rentável de criar conteúdo e buscar credibilidade, é o grande desafio da comunicação.

Em um mundo onde os tabletes e smartphones já são brinquedos de criança, os comunicólogos se perguntam, até quando folhear uma revista ou jornal terá graça?

Confira também:

Menu