O marketing está na moda?

Empresas internacionais que utilizam da comunicação para gerar crescimento nos negócios e reconhecimento positivo da marca. 

Sabe aquela história de que “a propaganda é a alma do negócio” ou “quem não é visto, não é lembrado”? Elas são verídicas. A empresa que se propõe a colocar seus negócios dentro do alvoroço mercado atual, está sujeita a usar de todo o seu esforço para que a marca não entre em decadência e os objetivos que são traçados sejam alcançados. Ditado popular ou não, a marca precisa estabelecer uma estrutura que saiba comunicar para atrair, comunicar para influenciar, para convencer e consumir. Demais isso, não é?

É claro que, com a moda não seria diferente.

Seja o médico que precisa vender seu atendimento, o restaurante que deseja anunciar a sua boa e sofisticada comida ou a tia da pipoca que fica na esquina fazendo a alegria de quem passa, todos precisam comunicar. É claro que, com a moda não seria diferente. Esse setor, que sofre variadas mudanças diariamente, precisa utilizar de ferramentas que possam facilitar sua comunicação e consequentemente seu crescimento e o seu lucro. De uma maneira geral, o marketing está aí pra isso.

Exemplos não podem faltar. Conheça duas empresas/marcas que conseguiram se estabelecer a partir de uma comunicação assertiva e que hoje usufruem de um reconhecimento satisfatório devido suas ações:

Collete

A empresa foi fundada em 1997 em Paris. Seu espaço físico mantém uma estrutura capaz de atrair amantes da música, da arte, da leitura e claro, da moda. A loja é considerada “conceitual” e um ponto forte da comunicação do espaço é a vitrine, pode-se considerar que é o principal cartão de visita de uma loja. Sabe aquele dia que você está andando na rua e seus olhos brilham quando vê uma vitrine bem arrumada? Então, a Colette pensa muito bem antes de montar uma. A vitrine da Colette é mudada toda a semana e são construídas com histórias que são capazes de atrair olhares e chamar você pra dentro da loja. Pronto, você já morreu de amores pela vitrine, entrou na loja e chegou a hora de viajar pela magia que acontece lá dentro: falando de moda, é colocada apenas uma peça (de um determinado estilo) no display para que o cliente tenha a sensação de que a peça é única e se trata de uma novidade (eu sei que você fica triste quando entra numa loja, gosta de uma roupa, mas infelizmente existem mais 254 modelos iguais a ela). Outro ponto forte da marca é trabalhar com produtos limitados, capazes de gerar filas enormes em dias de lançamento com clientes ansiosos pelos produtos. A Colette também usa a internet (blogs) para permear notícias sobre os seus produtos, o que facilita muito o cliente conhecer suas principais características e desejar insaciavelmente determinado produto.

A loja que se preocupa com a vitrine!

A loja que se preocupa com a vitrine! (Fonte: Internet)

A Colette tem um bar, um restaurante, galerias, exposições mensais de fotografia, salas de multimídia e uma comunicação também feita pela revista Le Collete, site da loja, rádio e as exposições que funcionam dentro do espaço da loja.

Pontos positivos: Encontrar tudo (comida/moda/arte) em um lugar só; Sensação de comprar peças exclusivas; Ter acesso às características do produto no site.

H.Stern

H.Stern é uma joalheria fundada em 1945 que, basicamente, queria deixar o Brasil conhecido pelas suas lindas pedras. Eles trabalham no estilo less is more (menos é mais) que repassa a ideia ao consumidor de não estar comprando apenas uma joia, e sim, um desenho, um design.

De um logotipo masculino para uma marca universal.

De um logotipo masculino para uma marca universal. (Fonte: Internet)

A empresa exerce um tipo de briefing que faz toda diferença na hora de estruturar as peças. É a partir desse processo que são determinados qual o tipo de pedra complementará à joia, o tipo de corte, o tamanho e etc (esse processo é bom pois agiliza muito todo o andamento da criação da peça, bom seria se tudo na vida tivesse um briefing “rs”). Por se tratar de estilo das joias, é extremamente proibido aos designers da marca frequentarem as feiras de joias para que não influencie o trabalho na hora de montar a peça (isso que é fazer a joia ficar inovadora).

Outro ponto forte da marca é associar suas coleções a celebridades. Nada melhor que usar uma imagem influenciadora e formadora de opinião para lançar seus produtos e conceitos, não é mesmo? Por exemplo, O cantor Carlinhos Brown inspirou uma coleção de joias que apresentava um anel articulado que cobria todo o dedo, já que sua principal ideia era de usar quando tocasse sua percussão e o anel não saísse da mão. Legal? Isso é inovação.

O antigo logotipo da H.Stern era grosseiro, com traços masculinos por que antigamente eram os homens os principais compradores de joias. MAS, isso é passado. A nova identidade visual da marca foi estruturada com uma ‘pegada’ mais clean, moderna e voltada para público que consome (na maioria das vezes) o seu produto: as mulheres.

Motivos para mudar?

Essa mudança ocorreu por que a H.Stern é uma empresa totalmente voltada a atualidade. Seu desejo é ser eterna e que acima de tudo carregue em cada peça uma emoção, um desejo, um sonho. A marca é atenta ás mudanças de comportamento, é ligada sempre em uma nova linguagem estética, gosta de criar campanhas instigantes e sempre está atentas aos novos meios de comunicação.

Curiosidade: A H.Stern preza tanto pela fidelização de seus clientes que envia cartão de aniversário e natal para os mesmos. Bela maneira de fazer os seus consumidores se sentirem importante, certo? (Quero um cartão de aniversário da H.Stern).

Ok, ok, mas o que devo fazer?

Bom, o que fazer para ser reconhecido? A ideia é apostar no diferente. O que é clássico, tradicional, todo mundo já conhece e está cansado de ver. Criar produtos inovadores capazes de aguçar novos sentidos e sensações aos consumidores, é a chave para o negócio dar certo. Tornar esse produto de um desejo incalculável, é o resultado de ações bem estruturadas e pensadas para um bem comum: fazer o cliente se sentir um máximo usando o produto da marca. O marketing está aí pra isso. Coloque no papel suas ideias, escreva tudo aquilo que vier na sua cabeça (sim, até os absurdos) que em um determinado tempo, no momento certo, você vai perceber que chegou a hora de inovar o seu negócio e que você tem a ideia certa.

, , , , ,

Confira também:

Menu