Trabalha na internet? Talvez você precise sair do Chrome!

Para quem trabalha na internet, velocidade de navegação é crucial. O Google Chrome tem sido o navegador mais usado. Todavia, muito se diz sobre como ele consome recursos do computador. Se você está passando aperto com travamentos e lentidão, talvez valha buscar uma alternativa. Este texto descreve uma experiência semelhante, a minha, e como lidei com o problema. A ideia é que, caso esteja na mesma situação, você também consiga fazer a transição sem perder nada!

A perda de tempo

Eu nunca liguei muito para toda essa questão do consumo do Chrome, todavia, também nunca dei muita trela. Afinal, reclamações desse tipo não são exclusivas a ele.

Entretanto, recentemente vinha notando a infame lentidão. Sempre que precisava abrir um programa mais pesado (um editor de vídeos ou mesmo o Office), eu fechava o Google Chrome. Por quê? O navegador ocupava, sozinho, metade da memória RAM do meu computador. Você não precisa saber o que é isso, apenas que é vital para um bom funcionamento e velocidade.

Se você quiser ver o consumo na sua máquina, nesse exato momento, pressione Ctrl+Shift+Esc. Clique em “Mais detalhes” no canto da janela e verá uma tabela como a da imagem ao lado. Clique na coluna “Memória” e provavelmente o Chrome será o primeiro da lista.

As alternativas

A primeira possibilidade, e a mais óbvia até então, era comprar uma memória maior. Mas era necessário testar outras soluções antes de abrir a carteira. Essa era a possibilidade mais óbvia simplesmente porque eu não estava disposto a largar o Chrome (e várias extensões, configurações, logins).

Por causa disso, eu não considerava mudar de navegador. Quem trabalha na internet eventualmente se prende ao navegador que está usando. Não é fácil migrar tudo que você tem de um para o outro e continuar normalmente no dia seguinte. Cheguei a fazer leves testes com o Edge, que vem no Windows 10, mas não me adaptei.

A um mês atrás, saiu a notícia de que um outro navegador, o Firefox, ganhava uma atualização poderosa! A notícia espalhou mais rápido que o normal, o que me chamou atenção. Firefox é um navegador antigo que muitos (incluindo eu) usavam antes de migrarem para o Chrome.

Firefox vs Chrome… tem diferença?

Depois de muito ceticismo, decidi ficar pelo menos uma semana com o Firefox. A diferença foi enorme! A velocidade dos dois é bastante similar, como você pode ver no vídeo acima (que foi gravado ainda na versão de testes). Mas o uso da memória é substancialmente menor! Diante das mesmas circunstâncias, ele consumiu 30% menos memória do que o Google Chrome (de 56% para 20%)!

O restante da experiência não é muito distante do que você já está acostumado. Todos os botões e recursos estão onde você espera que estejam. Mas, depois de baixar o Firefox, você provavelmente vai algo que te fará falta..

OK, agora onde estão minhas coisas?

firefox

Alguns dados, como favoritos ou histórico, o Firefox permite transferir no ato da instalação. Mas suas senhas e extensões ficaram para trás, não é?

Pouco antes de mudar para o Firefox, eu comecei a usar um gerenciador de senhas, o LastPass. Fazer a transição através dele foi bastante simples! Basta abrir o LastPass no Google Chrome e importar as senhas para lá. Instale-o no Firefox e suas senhas estão todas com você!

Quanto às extensões, não há uma forma de buscar todas instantaneamente. Mas você ainda pode instalar as extensões do Chrome no Firefox com o Chrome Store Foxified! Basta instalá-lo, ir à Chrome Web Store (onde você baixa extensões) e instalar o que quiser!

Devo fazer o mesmo?

A ideia aqui não é dizer que o Firefox é melhor que o Chrome ou que todos devam mudar.. Contudo, se você trabalha na internet, precisa de velocidade e tem enfrentado problemas com lentidão no computador ou travamentos, vale o experimento! É importante salientar que o travamento pode não ser oriundo do navegador, mas de outro programa, vírus ou a internet pode estar ruim. Mas, se o problema for mesmo o Google Chrome, faça o teste!

, , ,

Confira também:

Menu