fbpx

Repertório: sua empresa precisa ter um!

Você já observou a quantidade de empresas que utilizam o canal de comunicação apenas para falarem de si mesmas? Quando você fala apenas do próprio produto ou serviço e não agrega nada ao consumidor, pode ser que te falte repertório!

Não é só coisa de músico!

Se você pensa que repertório se refere apenas às canções de um músico, está bem enganado! O conceito de repertório também faz parte da Teoria da Informação para se referir ao nível de conhecimento de um receptor, seu nível cultural, instrução e todo tipo de conhecimento que modifica e/ou confirma os ideais do ser. Do dicionário Oxford, temos:

substantivo masculino

  1. disposição de assuntos em ordem que facilita encontrá-los.
  2. título de certas coletâneas.

Com isso dito, todo tipo de informação e conhecimento que você adquire ao longo da sua carreira pode ser utilizado como repertório para diversas situações. No caso de um músico, esse conceito vai além do seu catálogo de canções – podendo abranger os recursos musicais que ele utiliza para atrair seu público e a mensagem que ele passa.

O repertório do seu negócio!

jornada de comprs

Já quando se fala de uma empresa – e, consequentemente, de vendas – precisamos pensar que a jornada de compra não ocorre somente nos vinte ou trinta dias que antecedem sua concretização. Seus clientes provavelmente passaram mais nove meses transformando um desejo difuso em uma oportunidade de concretizá-lo – vale salientar que, em ramos como o alimentício e outros de mais fácil aquisição, essa etapa pode ser bem menor, mas ela ainda existe!

Nesse cenário, um bom repertório deve levar em consideração essas três etapas: sonho, oportunidade e realização! Vamos criar, por exemplo, o repertório para um corretor de imóveis:

  • Sonho:
    • Turismo (pousadas, pontos turísticos, férias);
    • Lazer (parques, gastronomia, comércio);
    • Conforto (arquitetura, infraestrutura, decoração);
    • Cultura (livros, séries, conteúdo).
  • Oportunidade:
    • Investimento, valorização;
    • Localização.
  • Realização:
    • Processo de compra, preço;
    • Casas, lotes, apartamentos.

Veja que o repertório vai muito além de falar somente do seu produto ou serviço! Um bom repertório deve contemplar toda a jornada do cliente e ser eclético ao fazê-lo. Gastronomia, à primeira vista, pouco tem a ver com a venda de um imóvel, mas é certamente um atrativo que constitui a etapa de idealização abordada acima e aguça o desejo do seu público-alvo!

Como utilizar na sua empresa?

conteúdoA primeira coisa a ser feita é pensar no contexto abordado acima e como é a jornada de compra do seu cliente: O que instiga o desejo? O que você pode fazer para torná-lo mais acessível? E, no final, fale do seu produto de fato.

Veja que as etapas são dispostas em um funil, então são muitos os que desejam ter seu produto/serviço, mas poucos realmente o comprarão. Então é de pouca valia falar constantemente dele se você não conseguir atrair quem está no topo do funil! Se isso parece familiar para você, esse conceito possui forte interseção com o funil de vendas do inbound marketing (e significa que você está estudando, parabéns!).

Depois de elaborar seu repertório, você pode utilizá-lo em todo o marketing da sua empresa! Seja no seu mapa editorial ou até mesmo numa estratégia de inbound marketing como sugerido acima!

, , ,

Confira também:

Menu
</