Social commerce: o futuro das vendas digitais?

Alguns anos atrás, era inimaginável que compraríamos roupas pela internet. Mesmo no início da revolução do e-commerce, isso ainda era fortemente questionado. Hoje está ficando difícil encontrar alguém que ainda relute com a ideia! O próximo passo pode estar perto de acontecer e ele se chama social commerce! Você sabe o que é?

Preparando a estrutura!

instagramTalvez um dos primeiros passos dados pelo Facebook na direção do social commerce seja a introdução da própria plataforma de pagamentos, o Facebook Pay. De forma similar ao PayPal ou PagSeguro, você coloca os dados do seu cartão nele e pode usá-lo depois para enviar dinheiro pelo Messenger (indisponível no Brasil) ou comprar anúncios, por exemplo. Quem acompanha as notícias deve se lembrar quando o WhatsApp tentou introduzir esse recurso aqui no Brasil. O mensageiro foi prontamente impedido de continuar a comercialização pelo Banco Central, mas já está retomando os testes.

Além dos métodos de pagamento, o Facebook vem demonstrando forte interesse nas lojas virtuais há muito tempo! Quem cria uma página para vender hoje pode criar um catálogo de produtos e levar seus clientes a um site ou uma conversa para realizar a compra! Atualmente isso funciona tanto no Facebook quanto no Instagram.

Assim surge o social commerce!

Juntando as duas coisas, fica fácil concluir que estamos caminhando para um futuro em que o público poderá visualizar e comprar os produtos pelo Instagram ou pelo Facebook, sem precisar sair da rede social! Basta que a mesma infraestrutura de pagamentos que vem sendo aperfeiçoada no WhatsApp seja utilizada nos catálogos e tags de produtos do Facebook/Instagram! Esse é o social commerce!

O social commerce será ideal para o pequeno empresário que ainda não investiu em uma plataforma de e-commerce completa. Quem está apenas testando a possibilidade de vender na internet verá nisso um facilitador, já que agora basta ter um produto e um perfil no Instagram!

Mas um não substitui o outro.

Significa que podemos simplesmente abandonar o site e focar todos os esforços no social commerce? Negativo! Embora seja certamente uma ótima porta de entrada para novos comerciantes, o social commerce ainda não conta com algumas das vantagens de um site.

Construir uma estratégia de remarketing ou um bom posicionamento no Google ainda são coisas que exigem, em boa parte, a presença de um site. Por mais que a complexidade seja maior, o controle que você terá sobre a sua marca e a experiência do cliente ainda favorecem o ecommerce tradicional.

Como se preparar?

Agora que você sabe que esse futuro está chegando, o que você pode fazer no presente para estar pronto? Comece fazendo bom uso das ferramentas que citamos ali em cima! Tenha um catálogo bem caprichado e uma boa presença nas redes sociais! Quando chegar a hora, bastará o clique de um botão para as coisas funcionarem! E aí, vamos vender?

, , , ,

Confira também:

Menu